O Método Pilates e seus benefícios na maturidade

Publicada em 12/04/2010


Como tudo começou

Foi na Alemanha, em uma pequena vila chamada Mönchengladbach, nas proximidades de Dusseldorf, no ano de 1880 que nasceu Joseph Hubertus Pilates.

Sua infância foi marcada por uma saúde frágil e debilitada. Ele sofria de asma, raquitismo e febre reumática. Foi justamente por essa condição frágil que ele se dedicou a tornar-se fisicamente forte. Praticou esqui, boxe, mergulho e ginástica. Ele era autodidata. Estudou medicina tradicional chinesa, ioga, artes marciais e o movimento dos animais.

No ano de 1912 mudou-se para Inglaterra, onde trabalhou na polícia civil inglesa e no circo. Quando eclodiu a Primeira Guerra mundial, em 1914, foi exilado em um campo de concentração em Lancaster, por ser considerado estrangeiro inimigo. Foi lá que Joseph começou a colocar em prática seus estudos. Atuando como enfermeiro, ajudava na recuperação de feridos e treinava os internos com os exercícios que havia criado.

Suas vivências no campo de concentração, juntamente com a influência de outras técnicas, se tornaram a base de seu método.

Após a guerra, Pilates retornou para a Alemanha e continuou com seu programa de condicionamento físico, treinando a força policial da cidade de Hamburgo.

Em 1926, Joseph, então com 46 anos, emigrou para os EUA. Na viagem conheceu sua futura esposa, a enfermeira Clara. Chegando a Nova York, abriu seu primeiro Studio na Oitava Avenida, atraindo diversos bailarinos famosos que se sentiram interessados pelos benefícios de seu Método.

Joseph era um seguidor de suas próprias idéias, um visionário. Ele mesmo admitia que estava pelo menos 50 anos à frente de seu tempo. Conseguiu superar seus problemas de infância e viver uma vida longa e saudável. Faleceu em 1967, com 87 anos, por inalar uma quantidade excessiva de gases tóxicos ao tentar salvar seu Studio de um incêndio.

Pilates escreveu dois livros, com a colaboração de Willian John Miller: Your Health, em 1834, que fala de sua filosofia e Return to Life Through Contrology, em 1945, que se foca nos seus exercícios de mat.

O MÉTODO PILATES e maturidade

Pilates é muito mais do que exercícios físico. Pilates é um método de condicionamento físico e mental, que alia força, alongamento, equilíbrio e consciência corporal. Um sistema completo, que tem o objetivo de proporcionar consciência corporal e mental plena e profunda.

Antes de morrer, seu método era conhecido como Contrologia, a arte do controle. Segundo Pilates, Contrologia nada mais é do que a completa coordenação de corpo, mente e espírito.

Pilates como alternativa para a população madura

A população mundial esta ficando mais velha. Como conseqüência do aumento da expectativa de vida e da ocorrência de mudanças sociais, econômicas e culturais, observa-se que as pessoas se mantém ativas até uma idade mais avançada que em ouras épocas.

Por isso, é natural que todos queiram envelhecer da forma mais ativa e saudável possível. A maneira de conduzir este processo é aliando exercícios físicos, hábitos saudáveis e uma mente equilibrada.

O Método Pilates é uma boa alternativa de programa de exercícios para esta população. Por ser um método completo, seguro e eficiente, profissionais da área da saúde indicam Pilates para quem busca saúde física e mental.

Através de uma seqüência de exercícios, baseada em princípios específicos, seus praticantes percebem a unidade corpo e mente. Através dessa interação, passam a desenvolver corpos mais fortes e flexíveis e mentes mais focadas e conscientes.

Princípios do Método:

Concentração

Não existe movimento inconsciente ou involuntário no Método, por isso a concentração durante toda a prática é essencial. É a mente que domina o corpo, ela deve estar conectada com o corpo em movimento. Através deste princípio, atingimos a total consciência corporal que nos acompanha sempre, não só na hora da prática.

São utilizados cinco aspectos da mente para realizar os exercícios: inteligência, intuição, imaginação, vontade e memória.

Para a população mais velha, este princípio faz com que durante as aulas seja realizado um trabalho mental de memorização e foco, que auxilia também fora da prática, nas atividades de vida diária.

Centralização

É o foco principal do Método, já que todo trabalho se inicia e se sustenta pelo centro do corpo. Pilates denominou esse centro de Power house, ou casa de força. Podemos considerar o centro de força como o conjunto dos músculos entre a cintura escapular e pélvica: músculos abdominais, extensores da coluna e assoalho pélvico. Através da ativação destes músculos conseguimos a estabilização da coluna vertebral, adquirindo controle, equilíbrio e segurança na realização dos movimentos.

Na fase da maturidade, o corpo passa por uma série de mudanças. Observa-se a diminuição da coordenação motora, da agilidade e do equilíbrio estático e dinâmico. Como o nosso centro de gravidade, responsável pelo equilíbrio, é o Power house, o trabalho focado em fortalecer este centro, consegue restabelecer estas perdas.

Fluidez

A prática envolve uma sucessão de exercícios executados com harmonia. Como se fosse uma dança, um movimento é ligado ao outro. Respeitando as transições, faz-se o mínimo de movimentos desnecessários possíveis. Assim, a energia é focada e não se despersa em esforços desnecessários.

Precisão

Este princípio é o que diferencia o Método Pilates de outros métodos de condicionamento físico. Quando Pilates disse: “Não é o que você faz, mas sim a forma como faz”, se referia à maneira correta de realizar o movimento, focando na qualidade e não na quantidade, portanto fazendo um número reduzido de repetições, mas com segurança e eficiência.

Paras pessoas mais velhas, que costumam fadigar com mais facilidade, este fator é importante para executar corretamente o exercício sem o risco de lesão.

Respiração

Segundo Pilates, a “correta respiração” é a completa inalação e exalação de ar dos pulmões, a qual oxigena o sangue e aumenta a circulação. Ele dizia: “antes de tudo, aprenda a respirar corretamente”. È como se fosse uma faxina interna, exalando tudo o que for tóxico do organismo.

Durante a prática, a respiração deve ser controlada e conscientizada, já que tem o propósito de potencializar ou facilitar os movimentos. Os exercícios são realizados no ritmo da respiração, e ela é coordenada com os movimentos.

Controle

Não à toa Pilates chamou seu Método de Contrologia, ou a arte do Controle. É a total integração corpo e mente, que através da respiração correta e da precisão durante a prática, proporciona qualidade de movimento.

Através do controle conseguimos evoluir nos exercícios, sempre de forma segura e completa.

Conclusão

Por ser esse método um sistema tão completo e eficiente, podemos esperar uma série de benefícios. Destacam-se como principais:

  • Melhora visivelmente a consciência corporal, corrigindo maus hábitos posturais;
  • Desenvolve uniformemente toda a musculatura, proporcionando um corpo mais forte e flexível;
  • Melhora o condicionamento físico geral;
  • Enfatiza o fortalecimento da musculatura abdominal, responsável por uma postura correta;
  • Melhora coordenação motora e equilíbrio;
  • Aumenta a capacidade cardiorrespiratória;
  • Estimula a circulação sanguínea;
  • Previne lesões músculo esqueléticas e articulares;
  • Alivia dores;
  • Promove uma melhora significativa na auto-estima e na qualidade de vida;
  • Promove socialização e interação;

 

Referencial Bibliográfico

PILATES, J.H. A obra completa de Joseph Pilates: Sua Saúde e O retorno à Vida pela Contrologia (co-autoria de Willian Miller). SP; Phorte, 2010.

PANELLI,C; DE MARCO,A. Método Pilates de Condicionamento do Corpo: um programa para toda a vida. São Paulo: Ph Editora, 2006.

 

APARÍCIO, E; PÉREZ,J. O Autêntico Método Pilates: A Arte do controle. SP: Editora Planeta, 2005.